PACHA     MAMA

O poder da transmutação

3485

 

Transmutar é reciclar. Pegar o que é velho e transformar em novo. Purificar, regenerar. Se não houvesse essa possibilidade no Universo, ao “estragar” algo não haveria possibilidade de volta, de retorno à Origem.

Quem sou eu na Origem, na Unidade? Como eu perdi minha pureza, a simplicidade do ser? Transmutar me remete à ideia de voltar à Fonte, recriar a partir do zero, do caos, de onde não é possível se vislumbrar a perfeição já existente…

Quebrar os padrões de pobreza, de limitação, de estagnação e restaurar a força, a beleza, a integridade. Restaurar, renovar. Estar disposto a abrir mão do que já passou e reciclar, permitir-se os ajustes necessários para avançar e evoluir.

Quem pode se entregar a esta Força, que se entregue, pois agora é a hora. Já passou o tempo da melancolia, da monotonia, da insensatez, das fraquezas e ingenuidades… Chegou o momento de enfrentar a própria escuridão e defrontar-se com os medos esquecidos, as vergonhas, as teias de aranha…

Esconder-se ou fechar os olhos de nada adianta. O que a Luz nos pede é: ilumine-se e permita que a Luz guie a sua vida, o seu caminho.

Ser a Luz na Terra, transmutando, purificando o que não é Luz e aceitando fazer parte deste belo trabalho que é estar aqui na Terra a serviço de um Plano Maior. Afinal, “eu não vim aqui a passeio”…

Mas, posso sim, passear entre as flores, colher os espinhos, chorar, cair, aprender e levantar-me de novo. Tudo que já me derrubou, me fez crescer e ser mais forte. Hoje estou aqui, amando e sendo livre; livre de toda psicopatia, de todo mal, manipulação, doença e dependência.

A cura está aberta a todos, no seu coração guardam-se as chaves para todas as respostas…

Encontre-as!

 

Om Sai Ram!

Aurora